contato@cirurgiabariatricaconvenio.com.br

Logo Cirurgia Bariátrica Convênio
Logo Cirurgia Bariátrica Convênio
Linha de divisão
11

3262-2404

11

99535-1881


(Whatsapp)

Rua Abilio Soares, 250


6º andar - Paraíso - São Paulo
balão gástrico

_SAúde

11 coisas que você precisa saber sobre o balão gástrico

balão gástrico é um procedimento realizado por endoscopia. Ele visa à perda de peso promovida pela saciedade precoce (sensação de estômago cheio) após a ingestão de pequenas porções de alimentos.

Ao reduzir o apetite, ele permite ao paciente controlar melhor a quantidade de alimentos ingeridos.

Por levar o paciente a incorporar um hábito de vida saudável (dieta balanceada e prática de atividade física rotineira), o balão gástrico viabiliza uma perda de peso no curto prazo e sua manutenção mesmo após a retirada.

Isso faz desse procedimento uma importante ferramenta para a perda de peso. Assim, para proporcionar uma melhor compreensão sobre ele, mostraremos abaixo 11 coisas que você precisa saber sobre o balão gástrico. Confira!

1.    O que é o balão gástrico?

O balão gástrico é uma esfera de silicone colocada vazia dentro do estômago com o auxílio de endoscopia.

Uma vez inserido no paciente, ele é preenchido por aproximadamente 400 a 700 ml de líquido de forma a ocupar espaço dentro do estômago levando à saciedade.

2.    Como é o procedimento de colocação e retirada do balão gástrico?

O procedimento é feito com o auxílio de um aparelho de endoscopia. Ou seja, um tubo flexível inserido através da boca e esôfago com uma câmera acoplada na ponta para indicar o local onde introduzir o balão.

Para a realização do procedimento, que tem duração aproximada de 15 minutos, o paciente recebe um sedativo ou anestésico “leve”. Depois, ele recebe alta para casa.

Geralmente, após 6 meses da colocação, o balão é esvaziado por meio de uma punção realizada por endoscopia. Assim, ele pode ser retirado através do esôfago.

Para isso, é realizada uma anestesia geral. O paciente permanece inconsciente durante todo o exame e respira com o auxílio de uma máquina. Estima-se uma perda de 15 a 20% do peso, embora este resultado possa variar entre as pessoas.

3.    Existem técnicas mais modernas de balão?

Uma das técnicas mais modernas é o balão em cápsula. É um novo método, mais simples, pois permite ao paciente ingerir a cápsula, dispensando o uso do endoscópio.

Uma vez confirmada a posição correta do balão, ele é preenchido por 550 ml de líquido através de um tubo bem fino que é removido em seguida. Após quatro meses, o balão se desintegra e é eliminado pelas fezes.

Vale destacar que este tipo de balão ainda não está disponível no Brasil.

4.    O balão gástrico é uma boa opção para mim?

O balão gástrico pode ser recomendado para aqueles pacientes com indicação de cirurgia bariátrica que possuem índice de massa corporal muito alto e associado a elevado risco para a cirurgia.

Além disso, ele pode ser indicado para pacientes com obesidade leve (IMC < 35 kg/m2, não diabéticos). Ou seja, pacientes sem indicação de cirurgia bariátrica e que não apresentaram boa resposta ao tratamento clínico à base de dietas e medicações – talvez essa seja a indicação mais frequente desse tipo de tratamento.

Por último, para os pacientes com indicação de cirurgia bariátrica que preferem o balão. É importante salientar que, nesses casos, a quantidade de peso perdida é menor e ocorre mais lentamente.

5.    Sou candidato ao balão gástrico?

O balão pode ser uma alternativa quando o tratamento clínico com dieta e atividade física regular não promoveu uma perda de peso suficiente. Ou ainda na presença de doenças associadas à obesidade em pacientes com IMC mais baixo.

O seu cirurgião bariátrico irá discutir com você as melhores opções de tratamento em cada caso.

No caso do balão, seu comprometimento com o tratamento é muito importante. Isso porque a mudança de hábito – dieta saudável e prática de atividade física – é fundamental para o sucesso em longo prazo, mesmo após a retirada do balão (6 meses).

6.    Quais são os benefícios?

O maior benefício do balão gástrico é o fato de ser um procedimento não cirúrgico. Isso diminui significativamente os riscos inerentes de uma cirurgia.

Entretanto, a perda de peso é inferior àquela observada na cirurgia bariátrica. Exatamente por isso, o balão não é uma boa alternativa para pacientes com indicação de cirurgia (IMC ≥ 35 kg/m2 associado a comorbidades ou ≥ 40 kg/m2).

Em média, a perda de peso é de 20% em 6 meses, podendo variar de pessoa para pessoa. A mudança de hábito é fundamental para reduzir as chances de recuperação do peso após a retirada do balão.

7.    Quais são os riscos?

As complicações deste procedimento são raras. Porém, já foram relatados sangramentos e perfurações no estômago provocados por lesões decorrentes da passagem ou retirada do balão.

Alguns sintomas são bastante comuns nos primeiros dias após a colocação do balão, tais como:

  • Desconforto na região do estômago;
  • Náuseas; e
  • Vômitos.

Contudo, nota-se uma melhora gradativa ao longo dos dias. Outros sintomas podem ocorrer. São eles:

  • Plenitude gástrica (sensação de estômago cheio);
  • Indigestão;
  • Desconforto abdominal;
  • Azia; e
  • Regurgitação.

Embora extremamente raro, o esvaziamento do balão pode acontecer. Assim, é necessário fazer a sua retirada imediatamente.

8.    Como é o preparo para a colocação do balão?

A avaliação com a equipe médica é fundamental. É a oportunidade de discutir com o cirurgião bariátrico, a nutricionista e o psicólogo se o balão é a melhor alternativa para tratamento da obesidade e quais as mudanças necessárias após sua colocação.

Existe uma dieta específica a ser seguida nos primeiros dias após o balão para facilitar a adaptação do estômago à nova situação.

Para o procedimento em si, existem duas condições:

  • Jejum absoluto de 12 horas para alimentos sólidos; e
  • Jejum de 6 horas para alimentos líquidos.

9.    O que esperar do resultado e como posso contribuir para o sucesso?

Após a colocação do balão, é necessário adotar um hábito de vida saudável. Isso envolve dieta balanceada e prática de atividade física recomendada pela equipe multidisciplinar.

Um estudo realizado com mais de 3 mil pacientes demonstrou perda de excesso de peso em torno de 60% e 40% (em 6 meses) para pacientes com IMC entre 25-30 e entre 30-35, respectivamente.

Isso mostra que o balão é uma boa alternativa para pacientes com sobrepeso e obesidade leve sem doenças associadas.

       10. Como é a retirada do balão?

O balão é esvaziado através de uma punção realizada por endoscopia e retirado pela boca.

Para esse procedimento, é necessária anestesia geral para proteção das vias áreas e do pulmão. Isso evita que eventuais resíduos contaminem esses órgãos. Após a retirada, o estômago retorna ao seu tamanho e formato originais.

11. Vou recuperar o peso perdido após a retirada do balão?

Essa é a pergunta mais frequente entre os pacientes que procuram este tipo de tratamento. Uma vez retirado, os efeitos do balão deixam de existir e o paciente pode voltar a ingerir porções maiores.

Por isso, para o resultado em longo prazo, é fundamental a manutenção dos hábitos saudáveis adquiridos durante o tratamento.

Conclusão

Agora que você já conhece todos os detalhes sobre o balão gástrico, poderá ponderar se ele é uma boa opção para o seu caso. Contudo, lembre-se de que, antes de qualquer decisão, é essencial conversar com o cirurgião bariátrico. Apenas ele pode definir com total certeza se esse procedimento, de fato, é a melhor opção para você.

Mais artigos

Cirurgia Bariátrica: como e por que suplementar?

O número de pessoas com obesidade no Brasil cresceu 67,8% entre 2006 e 2018, segundo dados da Pesquisa de Vigilância de...

Leia mais >

Cirurgia Bariátrica: quem pode fazer?

Segundo dados de uma pesquisa do Ministério da Saúde de 2018, o número de brasileiros obesos cresceu 67,8% entre 2006 e...

Leia mais >

Cirurgia Bariátrica e Vitamina B12

A suplementação correta é capaz de evitar doenças do sistema nervoso, autoimunes e psicológicas Se você pensa em...

Leia mais >